Inovação a serviço da saúde

Prêmio Empreenda Saúde é uma oportunidade para projetos que tragam melhorias para o setor  

Em face às inúmeras transformações tecnológicas, a inovação se tornou peça chave nos mais diversos segmentos. Por apostar no talento e no empreendedorismo, a everis, multinacional de consultoria, que oferece soluções de estratégia e de negócios, do Grupo NTT DATA, promove a 2ª edição do Prêmio Empreenda Saúde, um incentivo a projetos inovadores, que agreguem melhorias nas práticas, processos, tecnologias e métodos de gestão na saúde, aplicada em três áreas: Assistência Integral à Saúde; Eficiência em Produtos e Processos Assistenciais; e Mecanismos de Integração Educacional e Saúde.

A Neurônio faz parte da organização do concurso, contribuindo diretamente com plano de comunicação e ações na área, visanod identificar potenciais participantes.


As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 29 de agosto, pelo site www.premioempreendasaude.com.br. Podem se inscrever pessoas físicas ou grupos residentes no Brasil que possuam um projeto ou plano de negócios inovador para empreender no segmento de saúde. No caso de grupos, é necessário contar com um representante, responsável pela inscrição, que citará os demais membros no ato do cadastro.

O projeto vencedor receberá o prêmio em barras de ouro, equivalente a R$ 50 mil, e acompanhamento profissional especializado para colocar o plano em prática no mercado brasileiro, transformando-o em realidade. A comissão de avaliação e o corpo de jurados serão compostos por membros renomados das áreas de ensino, pesquisa e inovação, e de empresários das mais diversas esferas da saúde no País.

“Buscamos fomentar o desenvolvimento de novos talentos, por meio de incentivos das boas práticas, além de estimular o espírito inventivo e de superação entre futuros empreendedores, nas mais variadas áreas, seja na saúde, tecnologia ou desenvolvimento. Desse modo, estaremos estimulando o surgimento de novos talentos que trarão grandes contribuições não só ao País, como também ao mundo”, afirma Eugenio Galdón, presidente da Fundação everis.

“Precisamos cada vez mais identificar boas iniciativas no campo da saúde, que ajudem a melhorar a vida de pacientes e aprimorar os processos hoje adotados. A qualidade e o potencial dos projetos apresentados na primeira edição mostraram que promover o acesso desses trabalhos ao mercado beneficia todos os envolvidos”, afirma Dr. Luiz Fernando Lima Reis, diretor de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês e membro da Comissão Julgadora do Prêmio.

Regulamento

A submissão do projeto deverá ser feita via arquivo digital pelo site, acompanhado de ficha de inscrição e breve resumo (abstract) da proposta. O trabalho deverá conter a exposição do problema com a ideia e a metodologia para sua implantação, benefícios vislumbrados e resultados de avaliação econômico-financeira do projeto. Junto ao projeto final também poderá ser incorporado um vídeo de representação das respectivas propostas.

Após a recepção e realização de triagem técnica das propostas, os projetos aprovados serão encaminhados para a comissão julgadora. A análise dos projetos levará em conta os critérios de aplicabilidade (relevância do problema), inovação e nível de contribuição para melhoria do sistema de saúde (tamanho da população beneficiada).

Os cinco projetos finalistas serão convidados para apresentação presencial ao corpo de jurados no dia 31 de outubro. O anúncio da proposta vencedora ocorrerá em evento aberto, realizado no dia 17 de novembro.

Histórico da edição 2015
Na edição 2015, o Prêmio Empreenda Saúde recebeu a inscrição de 94 projetos de todo o Brasil. O vencedor foi um grupo de empreendedores liderados por Paula Renata Cerdeira Gomez, de São Paulo, que apresentou o trabalho na área de Detecção antecipada de surtos epiléticos. Os pesquisadores desenvolveram um algoritmo capaz de detectar surtos epiléticos com antecedência média de 25 minutos. Esse achado permitirá o desenvolvimento de um dispositivo composto por um sensor que, interligado a um celular ou outro wearable,  avisará a própria pessoa, o acompanhante ou familiar, sobre a iminência do surto. Um outro dispositivo semelhante, de uso hospitalar, também está previsto, para alertar a equipe médica, em caso do indivíduo estar internado.

A epilepsia é a mais comum dentre as doenças cerebrais sérias, que atinge aproximadamente 65 milhões de pessoas no mundo que sofrem com a doença e, a cada ano, ocorrem 2 milhões de novos casos.

Saiba como trabalhamos com esse e outros projetos em nosso Portfolio.